Dra. Karla Santone

Existe Relação entre o Câncer e o Consumo de Carne e Derivados Animais?

Olá pessoal, eu sou Karla Santone, sou medica mastologista e vegana. Minha história com o veganismo começou em outubro de 2014 quando eu fiz uma viagem à Tailândia, um país de maioria budista e vegetariana. Eu nunca me canso de agradecer ao universo, as circunstâncias que me levaram a deixar de comer carne, pois, foi uma das melhores decisões que eu tomei em minha vida, a outra, foi fazer medicina.

Porém, foi somente em janeiro de 2016 que eu me tornei vegana de verdade. Parei o consumo de queijos, ovos e derivados e comecei a pesquisar sobre o assunto nas publicações cientificas. Eu precisava conhecer melhor o terreno em que eu estava entrando, principalmente pelo fato de eu ser médica, pois, eu tinha uma responsabilidade não só pela minha saúde, mas pela das minhas pacientes também.

Para a minha surpresa, encontrei dados incríveis e animadores sobre a dieta vegetariana que eu nem fazia ideia. Além de ser desnecessário, o consumo de produtos de origem animal, eles ainda são prejudiciais à saúde, principalmente no que diz respeito às doenças crônicas mais prevalentes em nosso meio que são diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares e vários tipos de câncer como câncer de mama, próstata, estômago, intestino, pâncreas, entre outros.

Em relação ao câncer de mama, a ligação entre o consumo de carne e gordura de origem animal, tem sido identificada em inúmeros estudos científicos. Um desses estudos realizado nos Estados Unidos pela Universidade de Harvard com 48.000 mulheres, mostrou que o maior consumo de carne vermelha por mulheres jovens e adolescentes foi associado a um aumento de 43% no risco de câncer de mama na pré-menopausa.

Já um outro estudo, esse feito no Reino Unido pela universidade de Oxford envolvendo mais de 337.000 mulheres de 10 países, mostrou que dietas ricas em proteína animal com o maior consumo de gordura animal, aumentaram o risco de câncer de mama em 28% comparado às mulheres que consomem menos.

Por outro lado, efeitos anticarcinogênicos dos feijões e leguminosas já foram demonstrados em muitos estudos que proporcionam o menor risco de câncer, observado na substituição à carne vermelha. Por serem ricos em fibras, em antioxidantes, fitoquímicos e pobres em gordura saturada, os alimentos de origem vegetal são os ideais para promover a saúde da mulher e evitar o câncer de mama e outras doenças.

Assim sendo, eu não hesito em indicar uma dieta vegetariana integral e bem planejada para as minhas pacientes e para todos que querem uma alimentação mais saudável, ética e sustentável.

Abraço e até a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *