InfluenciadoresTabata Iglesias

Educação e veganismo: uma aposta para o futuro

Se você é mãe deve saber que a maternidade nos transforma e nos faz enxergar o mundo de outra forma, se você não é, consegue sentir a emoção através dos olhos de uma. É natural.

Quando descobri que estava grávida já era Vegana há alguns anos. É importante salientar que nunca estive tão certa sobre a minha escolha pelo veganismo, como quando no período da minha gestação.

Ser vegano é uma decisão que transborda e ultrapassa a questão alimentar. É um estilo de vida que pode sim começar no prato, é claro, mas vai muito além da comida. Viver sem consumir produtos de origem animal te faz repensar vários outros aspectos de sua vida todos os dias. E, em consequência dessa nova consciência, você acaba buscando como fazer para melhorar a sua estadia nesse planeta ano após ano. Eu, enquanto gerava a minha filha, construía a sua volta o mundo que toda criança merece ao nascer.

É verdade que há ainda muito a ser esclarecido sobre uma gestação Vegana, existe tanto preconceito e desatualização. Só que, o que poucas pessoas sabem, é que uma gestação Vegana além de recomendada, se bem orientada, é segura como em qualquer outro estilo de vida.

Passar por esse estágio e desconstruir tantos mitos a respeito da minha escolha ética têm sido enriquecedor. Não há nada melhor do que dia após dia ver o quanto as crianças nascem compassivas e amorosas, amando tudo em volta delas.  Cada palavrinha ou frase sobre ética vinda da minha filhota de apenas três anos, é a comprovação de que sou responsável por grande parte da conduta futura dela.

Desde que comecei a militar sobre nutrição vegana infantil, percebi como somos culpados pela má alimentação de nossas crianças. Sem contar que somos os responsáveis diretos por fazê-las crescer em um mar de grandes mentiras. Deixamos que nossos filhos amem a Peppa, por exemplo, mas não permitimos que façam a conexão, porco-presunto-sofrimento. Servimos o personagem do desenho deles preferido em suas festinhas de aniversário, mostramos a eles de onde vêm os legumes, mas nunca tocamos no assunto de como aquele “carninha” chegou até seu prato. Nós cobramos tantas responsabilidades das crianças de se alimentarem bem, de falarem a verdade, de não omitirem acontecimentos, mas e você? Já se questionou de onde vem isso? Já se identificou como a peça principal desse difícil quebra cabeças que é criar um ser humano ético e compassivo?!

Sei que os tempos mudaram. Tem cada vez mais pais fazendo a associação entre o que eles ensinam e permitem os seus filhos comerem, e a influência direta disso no futuro deles. Até porque dado o quem vem acontecendo no planeta terra em consequência da atividade agropecuária, qual pai ou mãe quer ver o seu filho viver em um mundo sem grandes expectativas?

Se você acha difícil encarar o veganismo na infância do seu filho por causa da sociedade, não se assuste, não recue. Quanto mais numerosos fomos, e mais crianças saudáveis criarmos, mais pais verão as evidências de que o veganismo é saudável e recomendado em qualquer fase da vida. Sei que muitos desafios ainda estão por vir, também entendo que não posso mudar ninguém lá fora, a diferença vai estar em quem eu vou por lá fora, nos valores, nos ensinamentos, na educação que eu dou a minha filha.

E uma coisa eu tenho certeza: quando nos unimos somos muito, mas muito mais fortes!

Você duvida disso?!

instagram.com/maternidadevegana

Um comentário
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *