Blog VeganistasIvan Di Simoni

E se o mundo se tornasse vegano?

Já ouvi muitas vezes essa pergunta: O que aconteceria com os animais das casas de abate, se todo mundo de hora para outra virasse vegano?”

Em primeiro lugar, sejamos honestos. Por mais que isso seja o sonho de qualquer pessoa que ame os animais, a gente sabe que o mundo não vai virar vegano da noite para o dia.  Portanto, essa pergunta em geral vem de quem está apenas testando se os seus argumentos são sólidos ou não.

Mas vamos brincar e fingir que isso um dia possa vir acontecer.

A indústria de alimentos é baseada em demanda, se a gente deixa de demandar por certo “produto”, eles deixam de produzir. Pecuaristas deixariam então de reproduzir animais para servirem de alimento.

Para os animais que já estivessem em cárcere, nós podemos imaginar dois possíveis cenários extremos. 

Na pior hipótese, percebendo que não haveria mais lucro com a criação desses animais, fazendeiros os exterminariam ou simplesmente os abandonariam. No melhor dos casos, todos esses animais seriam acolhidos em santuários criados com a finalidade de hospedar animais resgatados das fazendas de abate.  Até porque, como todas as pessoas seriam veganas, isso seria o correto a se fazer.

Se você analisar bem, até mesmo o pior cenário seria bem melhor do que ocorre hoje em dia em todo o mundo. Só no Brasil, por exemplo, mais de cinco bilhões de vacas, porcos e galinhas são mortos todos os anos. Agora imagina que nessa conta nem está contabilizada a quantidade de peixes, crustáceos e muito menos estão contabilizados os animais que são mortos em abatedouros clandestinos. Ou seja, tamanha crueldade acabaria de uma vez por todas!

Algumas pessoas costumam dizer que se não comêssemos os animais eles iriam dominar o mundo. No Brasil mesmo,  há mais gado do que gente.  Para se ter uma ideia, em 2016 éramos 207 milhões de brasileiros humanos, contra 218 milhões de brasileiros bovinos.  Mas vale a pena ressaltar que a razão pela qual existe essa enorme quantidade de animais, é simplesmente o consumo humano. Resumindo: reproduzimos esses animais para que possamos usá-los da forma que nos ‘agrada’.

Fato é que em qualquer cenário que possamos pensar, a culpa é sempre dos humanos e nunca dos animais. Há 10 mil anos os humanos eram 1% da biomassa do planeta. Hoje, essa situação se inverteu e humanos e animais criados para consumo humano são 98% dessa biomassa.  Nós criamos essa população gigantesca de mais de seis bilhões de animais para consumo todos os anos. Sem contar com os peixes e outros animais pequenos.

A resposta para esse questionamento é a seguinte: A natureza achará uma forma de equilibrar essa população de acordo com o espaço e alimento disponíveis. E você já imaginou os benefícios incríveis que haveria para o planeta caso isso acontecesse? Além de pouparmos a vida desses animais, todo grão cultivado no planeta com a finalidade de alimentar os animais — que hoje corresponde a mais de 80% do plantio — poderia ser distribuído para acabar com a fome mundial.  Sem contar que o meio ambiente começaria a se recuperar da gigantesca devastação que se intensificou após a revolução industrial. A Amazônia teria uma chance de se recuperar.

Eu só consigo pensar que se isso acontecesse, viveríamos todos em um mundo de compaixão, amor, compreensão e certamente muito menos violento. É nesse mundo que eu quero viver. Eu trabalho para que esse dia chegue. Vamos juntos nessa?

instagram.com/pecado_vegano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *