Juliana Moraco

Ayurveda e Veganismo

Ayurveda tem entrado em foco nos últimos anos seguindo a tendência crescente da busca por um estilo de vida mais saudável e consciente. Entretanto, o Ayurveda existe desde muito, mas muito, antes disso. A palavra Ayurveda, em sânscrito, significa ciência (veda) da vida (ayur), é uma forma de medicina que teve origem na atual índia (onde ainda nos dias de hoje é oficial e reconhecida), cujos primeiros indícios de sua prática remontam de cerca de 4000 anos atrás.

Por mais antiga que seja, a Ayurveda impressiona ao ter escrituras relatando mecanismos fisiológicos esclarecidos apenas agora. Os ganhadores do prêmio Nobel de Medicina de 2017 isolaram um gene responsável pelo ciclo circadiano, o que pode ser chamado de “relógio biológico”. Essa descoberta explica a sincronicidade do ser-humano com os eventos de nascer e pôr-do-sol e suas flutuações, por exemplo, porquê temos sono a noite, fome ao meio dia, picos hormonais de madrugada, entre outros aspectos. A ayurveda separa o dia em 3 partes e determina quais seriam os melhores momentos para despertar, fazer digestão e se concentrar, de certa forma estabelecendo um relógio biológico e determinando que as pessoas seguissem os horários da Terra para terem melhor qualidade de vida, mais ou menos o que foi elucidade pelo estudo vencedor do Nobel!

Esse estudo, ainda que revolucionário, também acaba exemplificando o maior propósito da Ayurveda: alcançar a felicidade com uma vida saudável em harmonia com as leis da natureza. Essa medicina não visa tratar sintomas ou doenças, mas a pessoa, descobrindo o motivo pelo qual tais patologias estão se manifestando e tratando a raiz do problema. Acredita-se que toda doença, seja em humanos, animais ou plantas, apenas existe quando há um desequilíbrio no ser.

Vamos falar um pouquinho a língua do Ayurveda agora. Segundo a ciência da vida, tudo que existe no universo é composto pelos 5 elementos: Espaço ou éter, água, fogo, ar ou vento e terra. Aqui entram os Doshas, que talvez você já tenha ouvido falar. São a “energia vital”, ou a essência de tudo que é vivo no universo, regem nossa composição física, força, temperamento, emoções e capacidades fisiológicas. São 3, compostos pelos 5 elementos: Vata (éter + ar), Pitta (fogo + água), Kapha (terra + ar).

Os Doshas nos são transferidos no momento de nossa concepção e todas as pessoas têm os 3, porém com predominância de 2 ou 1 deles.

Vatta: pessoas normalmente magras e não muito altas, com ossos salientes e olhos pequenos. São criativas, ativas, alertas e agitadas, têm grande dificuldade de concentração. Caminham e falam rápido, possuem memória mais curta mas aprendem rápido, sono leve, fome irregular. Ganham e perdem peso com facilidade.

Pitta: altos e magros, concentrados, focados e disciplinados, tendem a seguir rotinas, se irritam caso não alcancem um objetivo. Detestam pular refeições, têm digestão rápida, sono profundo, preferem atividades competitivas.

Kapha: constituição corporal mais “pesada”, ossos largos e densos, digestão mais lenta, de forma que têm maior facilidade para ganhar do que para perder peso. Falam de maneira calma e tranquilizante, são muito amáveis, têm sono pesado e prolongado, ótima memória e demonstram afeto com maior facilidade.

Possivelmente você já fez um quiz online do tipo “descubra seu Dosha”. Sinto informar que é necessário um nível bem avançado de auto-conhecimento para saber com qual dosha você realmente nasceu. Entretanto, você pode ter se identificado com um ou dois deles, isso mostra que em seu atual momento de vida há maior manifestação desse, ou seja, há um desequilíbrio de tal dosha pois está tão exacerbado a ponto de você se reconhecer em suas características.

Quando os Doshas se desiquilibram então, ocorrem sintomas desagradáveis ou doenças, como baixa auto-estima, constipação, ansiedade, gastrite, entre muitos outros. Existem diversas formas de tratamento, mas a Ayurveda reconhece principalmente o papel da alimentação como forma de preservação e restauração da saúde. Vale lembrar que alimentação incorreta também é um fator desencadeante de desequilíbrio entre os Doshas.

A ayurveda não se auto denomina vegetariana ou vegana, entretanto a alimentação recomendada pelos veddas (livros que deram origem ao ayurveda) é a vegetariana orgânica composta principalmente por cerais, legumes, frutas, nozes, sementes e folhas. Segundo os livros, a carne é proveniente de um animal que se encontrava em sofrimento no momento de sua morte, e não seria adequada ao consumo humano. Já o leite faz parte da culinária, lembrando que vacas eram consideradas sagradas e sua ordenha feita de maneira que respeitava os valores da não-agressão (ahimsa).

Então como se alimentar de forma saudável, de acordo com os preceitos védicos?

Como falado no início, o tratamento diz respeito a pessoa, não a doença, por isso não há receita de bolo, mas algumas dicas ayurvédicas podem te ajudar a seguir uma dieta vegana e saudável.

O primeiro passo é descobrir qual seu desequilíbrio. Os alimentos também possuem doshas, portanto se você apresenta a exacerbação de Vatta, por exemplo, deve evitar alimentos Vatta a fim de fazer a manutenção desse dosha. Uma breve descrição de alimentos mais adequados para cada dosha seria:

Vatta: Evitar alimentos muito pesados e oleosos. Dar prioridade a temperos picantes e alimentos digestivos (como gengibre).

Pitta: A ideia é reduz o fogo, elemento dominante. Preferir bebidas geladas, alimentos frios, vegetais crus e óleos de boa qualidade.

Kapha: Tem tendência a reter líquidos, então evitar alimentos que possuem muita água. Seu elemento é a terra, então não consumir alimentos pesados, farinhas e açucares. Chás e frutas ácidas ajudam.

Essas dicas podem ajudar, mas o foco principal que venho repetindo ao longo do texto é: equilíbrio – nas atividades, nas relações, no tempo e na alimentação. O segredo para uma alimentação saudável é variar os pratos, respeitar e ouvir seu corpo e procurar atendimento médico e nutricional a qualquer momento quando julgar necessário. Acredite na Ayurveda, na yoga, na homeopatia e na medicina tradicional, acredite no que te faz se sentir bem e melhore sua qualidade de vida. No fundo, toda forma de busca pela saúde está conectada. A ciência da vida ainda nos trará diversas revelações.

Fontes:

http://www.jardimdomundo.com

https://www.ayurveda.com.br

http://anarenascendocomayurveda.blogspot.com.br

https://mokshadharma.blogspot.com.br

https://kripalu.org/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *